quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Paula Fernandes diz que sente fala de beijar na boca


Sei que, na hora certa, vai aparecer alguém bacana', acredita cantora

Paula Fernandes é a típica romântica. Ela não fica por ficar, gosta de ser conquistada e, em um homem, aprecia a sensibilidade. Apesar de ser o principal cupido durante os shows, embalando os apaixonados com seu sertanejo, seu coração continua sem dono, mas à espera de um amor. Quem sabe o sonho se concretiza em 2012? 

“Todos nós necessitamos de alguém um dia. Sei que, na hora certa, vai aparecer alguém bacana. Ainda estou à procura de meu príncipe encantado”, entrega a cantora, que recebeu a equipe da ‘Já É! em Nova Friburgo’, pouco antes de subir ao palco. 

                                                      

Apesar de sentir falta de um amor, Paula só gosta de namorar. Ela é contra essa história de dar um beijo na boca e ir embora, mas confessa que, às vezes, sente falta de ter alguém para dar umas bicotas. “Sinto muita falta de um namorado”, revela Paula, que acredita que esse seu lado ‘mais santa’ seja fruto de suas amizades: “Eu não fico, só namoro. Saí, conheci, posso namorar. Sempre trabalhei. Minhas amizades não eram para sair e ficar. Mas acredito que a mulher precisa se valorizar mais para ser mais valorizada”.

Embora já esteja com 27 anos, ela não se preocupa em construir uma família logo, mas sabe que tudo isso pode mudar a qualquer momento. “Todo mundo me pergunta se eu tenho sonho de ter filho. Filho é fruto de um relacionamento bem-sucedido. Acho que isso vai acontecer na hora certa, e naturalmente. Mas amor a gente não corre atrás. Ele que corre atrás da gente”, diz. 



Com média de 25 shows por mês, Paula pretende mudar essa agenda pesada em 2012.“Quero administrar melhor. Continuar compondo, curtir mais minha casa, minha mãe. Meu cachorro morre de depressão porque passo tanto tempo fora”, conta.

Por causa dessa rotina enlouquecedora, a cantora tem seus momentos de solidão e, quando chega no seu quarto, confessa que, às vezes, cai em prantos. “Quase não vou em casa. Sou uma mulher normal, que tenho TPM, fico brava. Na TPM tenho dor de cabeça, mal-estar, como qualquer outra pessoa”, diz a cantora.

Cotada para ser a substituta de Sandy como garota-propaganda da cerveja Devassa, é nessa hora que ela deixa esse seu lado aflorar. “Eu falo palavrão, sim, como qualquer pessoa normal. O que mais me tira do sério é mentira e falsidade”, completa.

Além de ter um rostinho angelical, fala mansa e de ser muito educada, Paula é extremamente vaidosa. Mesmo nos dias de show, é ela quem faz sua própria maquiagem e toda a produção sozinha. Mas, para manter o corpo de violão em dia, falta tempo para se exercitar: “Praticamente malho no palco, já que 1h40 de show é uma supermalhação”. 

Com uma carreira de 19 anos, Paula só engrenou como grande artista há dois anos. Nesse período, ralou muito e passou por várias dificuldades até chegar ao patamar de hoje em dia. Para se ter uma ideia da grandeza que a mineira de Sete Lagoas atingiu, ela foi a pessoa mais procurada no Google Brasil em 2011 e vendeu 1,5 milhão de cópias de seu disco.

“Quando vejo minha carreira lá atrás, lembro de várias dificuldades. Eu não tinha o que comer direito, onde dormir. Nunca cheguei a passar fome porque minha mãe é uma leoa. Cheguei a dividir um pastel que ela comprou errado e estava todo apimentado. Tivemos que comer. Era a única coisa que tínhamos. Tenho muitos traumas ainda, porque tive aquela infância dura, de quem pede um dinheirinho e ninguém tem nem R$ 1 no bolso”, lamenta.

Por causa dessas dificuldades, Paula comemora cada centavo que cai em sua conta bancária. Sua primeira compra foi uma casa. “Eu estava muito preocupada com o conforto da minha família. Desde o básico, a ter o que comer bacana em casa, até plano médico. Sempre fui pé no chão e eu sei o valor de um salário mínimo”. Paula diz que o importante é saber administrar, independentemente da quantidade: “Eu sempre vivi com muito pouco. Então, o que estou adquirindo tem que ser preservado, porque eu suo muito a camisa”. 

De Roberto a Taylor Swift


Quando surgiu ao lado de Roberto Carlos cantando na Praia de Copacabana para 400 mil pessoas em dezembro do ano passado, em show transmitido ao vivo, todos queriam saber quem era aquela menina com o Rei. De lá para cá, ela roubou a cena no Grammy Latino e não parou: a novidade é a parceria com a cantora Taylor Swift. A música ‘Long live’, um dueto, será lançada dia 3 de janeiro.

“Eu sonhava com isso porque a acho uma superartista, além de ser uma linda. A gente tem quase a mesma idade, ela é um pouco mais jovem que eu. Nós atingimos praticamente o mesmo público, também temos cachinhos e aquele jeito menina-mulher”, diz.

A dupla nunca se encontrou para a gravação. Paula compôs e gravou a primeira parte em português e, depois, mandou para os EUA. Taylor gravou uma versão traduzida ao pé da letra. Com planos de passar a virada de ano em Florianópolis — trabalhando, claro —, Paula não acredita em superstição para a data, mas tem lá seus segredinhos:“Procuro sempre vestir roupas claras e gosto de passar com tudo novo”.

Um comentário:

  1. eu acho q ela vai arrumar alguen q de muita atençao pra ela

    ResponderExcluir